10/09/2012


Paradoxo

 

 

O meu desejo é não desejar.

No entanto, foi tão bom...

eu acreditei que duraria.

 

Toda manhã,

antes do sol despontar,

lá está a ideia

que alimenta as minhas linhas.

 

Toda ela,

em metáforas corrosivas,

meu veneno, minha letargia

que me corroi e me mutila

em poesia.

Categoria: Inspirações
Escrito por Ligia Araujo às 13h32
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil


BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, Portuguese, Latin, Arte e cultura

Histórico