29/08/2012


Aum

 


Não há o que plantar

- não existe solo -

Não há o que florir

- não existem estações –


Não há do que se alegrar

- plenitude não é felicidade -

Não há do que temer

- perigosa segurança -


Não há o que esperar

- já não existe o tempo -

Não há para onde ir

- a direção é só aqui, dentro -


Não há mais o que dizer:

acabaram-se as metáforas,

escafederam-se as palavras

- transcendemos no silêncio -.

 

Categoria: Transcendência
Escrito por Ligia Araujo às 17h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil


BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, Portuguese, Latin, Arte e cultura

Histórico