15/02/2012


Incomensurável

 

 

 

 

 

Não há tempo que dissipe meu intento:

um amor peculiar,

com ausências e sem lamento.


Não há pausas que interrompam meu amar,

nem há chaves para trancar

a certeza do que sinto.


Não há saída para despedidas

nem acenos para o fim da linha:

O trem avança os trilhos

e aniquila quaisquer possibilidades

de encerrar o ciclo.


Vivo o infinito e a delicadeza

do que me arde, do que me transborda

e do que me invade incomensuravelmente

neste fim de tarde...

 


 

Categoria: Inspirações
Escrito por Ligia Araujo às 15h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

14/02/2012


Oração

 

 

 

 

O amor é livre.

Transita aqui,

dissipa lá,

afeta aquele,

neutraliza tudo,

vulgariza nada,

acolhe bem,

impede o mal:

Amem...

 

Categoria: Inspirações
Escrito por Ligia Araujo às 15h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/02/2012


Nada onírico

 

 


 

 

Olhos congestionados de sono

lutam vorazmente por um sonho:

Enxergar além,

virar refém da metafísica

e dos abismos de mim.


Crio alguns muros (enfim),

recrio portões para nós

e a chave

eu reparto e desfaço

dentro daqui,

fora de lá.


Ah, como é bom acordar

e reverberar enganos,

filtrar encantos,

cerrar os olhos:

Não para o sono,

mas, pelos sonhos...

 


 

Categoria: Abstrações
Escrito por Ligia Araujo às 17h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/02/2012


Nova dança

 

 

 

 

A alma sempre exposta, escancarada

em meus versos e trajetos.

O corpo sempre estático, enclausurado

nas convenções e manuais

supérfluos de etiquetas.


Um paradoxo inconsciente

que tão cegamente

demorei a enxergar e a aceitar.

Há uma longa estrada

a percorrer em meu mundo externo.

 E agora que sei

eu me quero por completo:

que toquem as trombetas,

meu corpo quer dançar!

 

Categoria: Transcendência
Escrito por Ligia Araujo às 18h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil


BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, Portuguese, Latin, Arte e cultura

Histórico